DILMA: RECUPERAÇÃO DA POPULARIDADE PERDE ÍMPETO

Fonte: elaboração própria, com base em pesquisas do Ibope

Maurício Costa Romão

A avaliação positiva do governo Dilma Rousseff, desde sua posse, atingiu o ponto mais elevado (63%) em março de 2013, na série histórica do Ibope (vide linha preta no gráfico que acompanha o texto).

Com as insurgências do meio do ano passado, essa avaliação despencou para 31% na pesquisa de julho. A partir daí, a popularidade da presidente foi sendo recuperada lenta e gradualmente, tendo atingido 43% em dezembro último.

O levantamento de fevereiro do Ibope, entretanto, mostra queda nessa trajetória ascensional ou, ao menos, interrupção, já que os números estão nos limites da margem de erro de dois pontos de percentagem. Pelo percentual de fevereiro (39%) a presidente praticamente voltou ao patamar de agosto, quando iniciou seu resgate de popularidade.

Ler mais

PESQUISA ELEITORAL: INFORMAÇÃO TRANSPARENTE (I)

 

Eleitora

Os institutos de pesquisa eleitoral são claros, transparentes, quando divulgam seus resultados? Por exemplo, os “press-releases” enviados para os jornais e mídia on-line são suficientemente informativos? 

Maurício Costa Romão

No que se refere àquelas informações básicas associadas às intenções de voto, tipo: margem de erro, tamanho da amostra, data do trabalho de campo, votos válidos, etc., os institutos normalmente fazem comentários curtos, porém esclarecedores. Alguns detalhes mais técnicos são deliberadamente omitidos, em especial para o jornal impresso, porque podem tornar o texto jornalístico um tanto árido e de difícil assimilação pelo grande público.

Ler mais