Popularidade

AUXÍLIO EMERGENCIAL E POPULARIDADE DO PRESIDENTE

27/08/2020

  

Maurício Costa Romão

O benefício financeiro do auxílio emergencial (AE) fornecido pelo governo federal para enfrentamento da crise do coronavírus se destaca de pronto pela grandiosidade dos números.

 O total de gastos autorizado para o Programa é de R$ 254,6 bi, sendo que até o dia 18/08 foram pagos R$ 161,0 bi para 66,4 milhões de beneficiários (quase um terço da população brasileira).

 Naturalmente que um auxílio dessa magnitude, envolvendo trabalhadores informais, os já beneficiários do Bolsa Família e os que compõem o Cadastro Único, deve ter sido o grande responsável pela melhoria recente na avaliação do governo Bolsonaro detectada por vários institutos de pesquisa.

Leia mais…

INTENÇÃO DE VOTOS E AVALIAÇÃO DE GOVERNO

02/09/2014

Fonte: elaboração própria, com base em várias pesquisas nacionais

Maurício Costa Romão

POPULARIDADE E APROVAÇÃO DA GESTÃO

01/09/2014

Fonte: elaboração própria, com base em pesquisas do Ibope

Maurício Costa Romão

No quesito “avaliação de governo” os institutos de pesquisa costumam inquirir os respondentes de duas maneiras: uma, indagando se o mandatário está realizando uma administração “ótima, boa, regular, ruim ou péssima”, outra, instando-os a declararem se “aprovam ou desaprovam” a gestão em andamento, ou a maneira de governar do gestor.

Esta última forma é mais direta, intuitiva, de fácil interpretação. Seus resultados numéricos não deixam margem a dúvidas: 60% de Aprova, 30% de Desaprova e 10% de não sabem, não responderam, suscitam logo a conclusão de que a administração é aprovada pela população.

Entretanto, ao se resumir à dualidade aprova/desaprova, a questão deixa de fora do leque de opções do entrevistado as eventuais manifestações intermediárias entre as duas indagações.

Leia mais…

QUEDA NA AVALIAÇÃO POSITIVA DO GOVERNO PUXA INTENÇÃO DE VOTOS PARA BAIXO

30/04/2014

Fonte: elaboração própria com base em diversas pesquisas nacionais

Maurício Costa Romão

Depois da inesperada celebração da aliança Rede/PSB, nos estertores do prazo final para criação de partidos políticos, em 5 de outubro do ano passado, os grandes institutos de pesquisa já realizaram 17 levantamentos nacionais de intenção de votos para presidente da República.

Todas essas pesquisas contemplam o cenário mais provável de concorrentes a presidente, composto por Dilma Rousseff, Aécio Neves e Eduardo Campos. A média mensal de intenções de voto de Dilma neste cenário, no período de outubro de 2013 a abril de 2014, está mostrada na linha azul do gráfico que acompanha o texto.

Leia mais…

DILMA: LIDERANÇA E POPULARIDADE NÃO SE ALTERAM

10/11/2013

Maurício Costa Romão

A avaliação positiva da gestão da presidente Dilma Rousseff, mensurada pela soma dos conceitos de ótimo e bom, era de 65% em março e caiu abruptamente para 30% no fim de junho (Datafolha), reflexo dos protestos de rua daquele período.

Logo após a publicação daquela pesquisa de junho o marqueteiro da presidente, João Santana, desdenhando do potencial de corrosão eleitoral dos movimentos populares de então, tratando-os como episódicos e sem maiores conseqüências, vaticinou que em quatro meses a sua cliente recuperaria a popularidade perdida.

Leia mais…

Sobre o autor

Maurício Costa Romão é Master e Ph.D. em economia pela Universidade de Illinois, nos Estados Unidos, sendo autor de livros e de publicações em periódicos nacionais e internacionais...

continue lendo >> Maurício Romão

Copyright © 2012 Maurício Romão. Todos os direitos reservados.

Desenvolvimento: 4 Comunicação