política

A POLÍTICA BRASILEIRA VAI AO ENTRETENIMENTO

17/02/2012

Eugênio Bucci

O Estado de S.Paulo, 26/01/2012

No início, ainda no século 18, a imprensa criticava o poder. Aprendeu a influenciar e derrubar governos. Ao final do século 19 os magnatas da imprensa criaram pontes que os levaram pessoalmente ao poder. O americano William Randolph Hearst (1863-1951) foi um dos precursores. Dono de grandes diários espalhados pelos Estados Unidos, elegeu-se deputado. Na primeira década do século 20 tentou a prefeitura de Nova York e, depois, o governo do Estado de Nova York. Perdeu as duas disputas, mas abriu o caminho. Depois dele vieram outros, como o bilionário Michael Bloomberg, dono do canal de TV com o mesmo nome, que é o atual prefeito de Nova York.

Leia mais…

UNIÃO COM PMDB DARIA A PETISTA DOBRO DO TEMPO DE TV

03/01/2012

Daniela Lima
Paulo Gama

Folha de S.Paulo, 30/12/2011

Para ampliar fatia na propaganda de rádio e TV, adversários abrem disputa em SP para atrair o apoio de siglas menores.  

Tamanho da coligação define o espaço que candidatos terão no horário eleitoral, que tem início em agosto.

Os partidos que se revezaram no comando da capital paulista nos últimos anos travam uma batalha para atrair o apoio de siglas menores e, com isso, ampliar o tempo que terão na propaganda para as eleições de 2012. A divisão da maior parte do espaço no rádio e na TV se dá de acordo com a representatividade das coligações.

Leia mais…

É BOM O DESEMPENHO DA PRESIDENTE DILMA NO PRIMEIRO ANO DE SEU MANDATO?

19/12/2011

 

SIM

OLHANDO ALÉM DA VONTADE POLÍTICA

Cláudio Gonçalves Couto

Ao avaliar-se o primeiro ano de uma Presidência, duas dimensões podem ser consideradas: o desempenho do governo (obra coletiva) ou o do chefe de governo (obra individual, sobretudo). Digo “sobretudo” porque o desempenho pessoal de um presidente sujeita-se à atuação de consultores de imagem, assessores próximos, conselheiros íntimos etc. Pesquisa CNI-Ibope divulgada ontem evidencia que a população faz a distinção: enquanto 56% aprovam o governo, 72% aprovam a presidenta -superando os antecessores em igual período, desde FHC.

Leia mais…

TRANSPORTE, O MOTE DE 2012

15/12/2011

 

Editorial do Jornal do Commercio, 14/12/2011

O ensaio da campanha eleitoral do ano que vem tem buscado aderir a preocupação dos atores políticos a um dos problemas crônicos da Região Metropolitana: a questão da mobilidade. Diante do cenário de caos, em que o trânsito trava a qualquer hora do dia, a discussão promete dominar o ambiente para a eleição de prefeitos e vereadores.  O cenário dantesco é resultante de diversos fatores, entre os quais o aumento da frota de veículos, a ausência de controle urbano que permite o estacionamento nos dois lados das ruas, a carga e descarga de caminhões em horário livre, o tráfego de carroças, muitas puxadas por animais, entre automóveis e motocicletas, além da falta de faixas exclusivas para ônibus e de ciclovias, e a insuficiência de táxis em circulação. Para piorar, presenciamos o adensamento imobiliário sem o menor sinal de planejamento.

Leia mais…

EXCESSOS DO MULTIPARTIDARISMO

28/11/2011

Marcos Coimbra

Blog do Noblat. 23/11/2011

Existirá uma causa única dos problemas que afetam nosso sistema político, tornando-o disfuncional e provocando a insatisfação da sociedade? Será que todos derivam de uma só origem?Qualquer pessoa sabe que não. E que são muitas as razões que os provocam.Há, no entanto, algumas mais importantes, às quais deveríamos prestar atenção maior. Especialmente em momentos como o atual, quando parece possível enfrentá-las, como parte da reforma política em curso.

Leia mais…

Sobre o autor

Maurício Costa Romão é Master e Ph.D. em economia pela Universidade de Illinois, nos Estados Unidos, sendo autor de livros e de publicações em periódicos nacionais e internacionais...

continue lendo >> Maurício Romão

Copyright © 2012 Maurício Romão. Todos os direitos reservados.

Desenvolvimento: 4 Comunicação