pesquisa senador

DISPUTA PARA SENADOR EM PERNAMBUCO: LÍDERES EMPATAM EM TODAS AS PESQUISAS.

26/07/2010

Por Maurício Costa Romão

Fonte: Mai (Ibope), Jun (Exatta), Jul 1 (IMN); Jul 2 (Exatta), Jul 3 (Datafolha),

Na corrida para o senado em Pernambuco, Independente do instituto que realizou a pesquisa, e da margem de erro adotada, nota-se um rigoroso empate técnico, em termos de intenção de votos, entre os postulantes que se alternam na liderança, Marco Maciel e Humberto Costa.

Leia mais…

A CORRIDA PARA O SENADO EM PERNAMBUCO

21/07/2010

 

Imagem publicada no blog do IMN

Por Maurício Costa Romão

 

Fonte: elaboração do autor com base nas pesquisas listadas. Os números do IMN foram preparados pela entidade a pedido do autor

Quando as pesquisas de intenção de votos têm o mesmo desenho de concepção (tamanho da amostra, margem de erro, intervalo de confiança, modelo de questionário, procedimento de campo, etc.), elas são estritamente comparáveis.

Quer dizer, as eventuais variações havidas nas intenções de voto dos candidatos, de uma pesquisa para outra, podem ter sido, de fato, derivadas de mudanças nas preferências da população, e não resultantes de modificações de metodologia ou de coleta de informações.

Daí por que institutos diferentes, com seus procedimentos amostrais e de campo distintos, nunca trabalham com o mesmo desenho de pesquisa, o que desaconselha comparação de resultados entre eles, do ponto de vista do rigor estatístico.

Leia mais…

Vox Populi para Senador em Pernambuco

28/04/2010

A pesquisa do Instituto Vox Populi levada a efeito no Estado de Pernambuco, entre os dias 6 e 10 de abril, e que teria balizado a direção do PT para se definir pela escolha de Humberto Costa como candidato ao Senado na chapa situacionista, foi bastante abrangente, tendo considerado seis cenários alternativos, quatro dos quais, os mais importantes, estão retratados na Tabela abaixo.

Nos dois primeiros cenários principais, em que se alternam os candidatos petistas, Marco Maciel aparece empatado numérica e tecnicamente com Humberto Costa e à frente oito pontos de percentagem quando João Paulo substitui Humberto, conforme se pode observar nas duas colunas iniciais da Tabela.

Em outros dois cenários, quando se consideram os apoios do presidente Lula e do governador Eduardo Campos para Humberto Costa e os apoios do candidato José Serra e de Jarbas Vasconcelos para Marco Maciel, os dois postulantes ao Senado ficam tecnicamente empatados. No cenário com esses mesmos apoios, mas com João Paulo como concorrente, no lugar de Humberto, Marco Maciel tem seis pontos de vantagem sobre o ex-prefeito.

Armando Monteiro e Sérgio Guerra aparecem sempre em terceiro e quarto lugares, respectivamente, em qualquer que seja o cenário, mas ambos distantes dos demais concorrentes, com diferenças fora da margem de erro, que é de 3%, para mais ou para menos.

Do ponto de vista numérico, a decisão da executiva do PT em escolher Humberto Costa foi coerente, se o critério de escolha entre os dois candidatos locais da agremiação fundamentou-se no desempenho de cada um, em termos de intenção de votos.

Tecnicamente, a escolha pode até ser questionada por ter sido baseada apenas em um único levantamento, num determinado momento de tempo (com um dos postulantes tendo mais exposição na mídia, por exemplo), sobretudo levando-se em conta que os percentuais de intenção de votos dos dois candidatos não são assim tão diferentes, nos diversos cenários. Note-se, também, que é altíssimo o percentual dos respondentes ainda indecisos (brancos, nulos, não sabe, não respondeu), variando de 35 a 38%.

Ao que parece, os dados da pesquisa foram usados para respaldar uma decisão política.

Sobre o autor

Maurício Costa Romão é Master e Ph.D. em economia pela Universidade de Illinois, nos Estados Unidos, sendo autor de livros e de publicações em periódicos nacionais e internacionais...

continue lendo >> Maurício Romão

Copyright © 2012 Maurício Romão. Todos os direitos reservados.

Desenvolvimento: 4 Comunicação