pernambuco

VOTO RETROSPECTIVO

07/07/2010

Por Adriano Oliveira – Cientista Político

Gestores bem avaliados tendem a ser reeleitos ou eleger os seus candidatos. Esta é tese da literatura da Ciência Política. Tese viável e já comprovada empiricamente. Observo, contudo, que é impossível compreender o processo eleitoral, nos quais estão presentes eventos, através de leis deterministas. Isto significa que boas administrações tendem a eleger candidatos. Neste caso, nem sempre gestores bem avaliados são reeleitos ou elegem os seus candidatos.

O presidente Lula, por ter uma administração bem avaliada, tende a eleger Dilma. O governador Eduardo Campos em razão de ter a gestão bem avaliada tende a ser reeleito. Estou, neste caso, diante de premissas, as quais podem ou não ser falseadas. Isto significa que o eleitor pode fazer a opção, por conta de diversas variáveis que interferem no processo eleitoral, por votar num oposicionista ou em um “aparente” oposicionista.

Leia mais…

Deputados Federais e Estaduais Mais Votados em Pernambuco e no Recife

30/06/2010

BREVE DESCRIÇÃO DE SUAS VOTAÇÕES, DESDE 1986

 Por Maurício Costa Romão

 Preliminares

1)    Os dados utilizados são do TRE-PE, que disponibiliza informações na Internet, abrangendo as últimas eleições, desde a de 1986;

2)    Para cada ano eleitoral (1986, 1990, 1994, 1998, 2002 e 2006) foram destacados os cinco Deputados mais votados em Pernambuco e suas respectivas votações no estado e no Recife (vide Tabelas a seguir). Naturalmente, nem sempre os mais votados no estado o são também no Recife;

3)    As Tabelas mostram ainda, nas duas últimas colunas, as votações dos Deputados em termos de participação no total de votos válidos do estado;

4)    As cédulas hachuriadas em cor mais escura em cada tabela representam as votações que foram maiores que o coeficiente eleitoral do pleito respectivo, cujo valor está marcado em negrito na última célula.

Leia mais…

Vox Populi: Eduardo tem 29 pontos à frente de Jarbas

18/05/2010

Por Maurício Costa Romão (também publicado no Blog Acerto de Contas)

Pesquisa do Instituto Vox Populi em Pernambuco para o Jornal da Band, divulgada agora à noite, mostra o Governador Eduardo Campos com 57% da intenções de voto contra 28% do Senador Jarbas Vasconcelos. Outros candidatos tiveram apenas 2% e os votos brancos, nulos e indecisos somaram 13%.

Fonte: Mar 1 (Datafolha), Mar 2 (IMN); Ago 1 (Vox Populi), Ago 2 (IMN); Nov (IMN); Dez (Datafolha); Fev (Vox Populi); Mai (Vox Populi).

A pesquisa foi levada a efeito entre os dias 8 e 12 deste mês, tendo sido entrevistados 1.000 eleitores em 47 municípios em todas as regiões do Estado. É de se registrar que a pré-candidatura do Senador Jarbas foi lançada no dia 6 de maio, portanto a coleta de dados da pesquisa iniciou-se dois dias depois, absorvendo já um pouco desse impacto.

Em relação à última pesquisa Vox Populi do fim de janeiro e início de fevereiro do corrente ano, há uma queda de seis pontos de percentagem nas intenções de voto de Eduardo e uma ligeiro acréscimo de dois pontos para Jarbas.

É interessante considerar  também as várias pesquisas de intenção de votos para Governador de Pernambuco publicadas até agora pelos diversos institutos (vide Gráfico). Aqui não há muito rigor quanto ao requisito de que as pesquisas tenham sido geradas a partir de uma mesma fonte. Elas podem provir de institutos diferentes, com suas metodologias distintas, não importa. A ideia é apenas colocá-las em sequência para auxiliar na visualização de tendência. É mais um elemento adicional de informações para detecção de prováveis trajetórias futuras.

Nas pesquisas mais recentes o Senador Jarbas Vasconcelos tem-se circunscrito ao patamar de 25 a 30% das intenções de voto, conforme se observa no Gráfico abaixo. Embora não se possa inferir diretamente da trajetória mostrada, há perpectiva de evolução ascendente nas suas intenções de voto em face de o Senador já se ter declarado pré-candidato, devendo acelerar sua estratégia de pré-campanha.

Já o Governador Eduardo Campos tem-se mantido folgadamente à frente da corrida pelo executivo estadual, desde a segunda pesquisa de março de 2009, gravitando no entorno do patamar de 50 a 60% das intenções de votos. É de se convir que será difícil manter esses níveis elevados, mais ainda quando já há adversário declarado e reconhecidamente competitivo.

Há que se aguardar novos levantamentos para prognósticos mais fundamentados, mas é previsível um estreitamento da distância mostrada entre as duas curvas delineadas no Gráfico.

Fonte: Mar 1 (Datafolha), Mar 2 (IMN); Ago 1 (Vox Populi), Ago 2 (IMN); Nov (IMN); Dez (Datafolha); Fev (Vox Populi); Mai (Vox Populi).

Filiação Partidária em Pernambuco e no Brasil

11/05/2010

Por Maurício Costa Romão

Fonte: Elaborado por MCR, com base em dados do TSE para março de 2010

Fonte: Elaborado por MCR, com base em dados do TSE para março de 2010

Pesquisa para Senador em Pernambuco

09/05/2010


Por Maurício Costa Romão

O jornal Folha de Pernambuco, na sua edição de hoje, dia 09/05/2010, na coluna de Ricardo Paes Barreto, Folha Política,  trata da estranheza do deputado Fernando Ferro relativa às intenções de voto atribuídas ao candidato Humberto Costa para o Senado, dizendo que nas amostras que viu, os percentuais do ex-prefeito João Paulo eram sempre maiores. Sobre o assunto cabem os seguintes comentários.

1)  O deputado menciona números de pesquisas internas, não publicadas, que não são de domínio público;

2)  A pesquisa publicada, contratada pela direção petista nacional, foi a do Instituto Vox Populi, levada a efeito no Estado de Pernambuco, entre os dias 6 e 10 de abril;

3)  Essa pesquisa, que teria balizado a direção do PT para se definir pela escolha de Humberto Costa como candidato ao Senado na chapa situacionista, foi bastante abrangente, tendo considerado seis cenários alternativos, quatro dos quais, os mais importantes, estão retratados na Tabela abaixo;

4)  Nos dois primeiros cenários principais, em que se alternam os candidatos petistas, Marco Maciel aparece empatado numérica e tecnicamente com Humberto Costa e à frente oito pontos de percentagem quando João Paulo substitui Humberto, conforme se pode observar nas duas colunas iniciais da Tabela;

5)  Em outros dois cenários, quando se consideram os apoios do presidente Lula e do governador Eduardo Campos para Humberto Costa e os apoios do candidato José Serra e de Jarbas Vasconcelos para Marco Maciel, os dois postulantes ao Senado ficam tecnicamente empatados. No cenário com esses mesmos apoios, mas com João Paulo como concorrente, no lugar de Humberto, Marco Maciel tem seis pontos de vantagem sobre o ex-prefeito;

6)  Armando Monteiro e Sérgio Guerra aparecem sempre em terceiro e quarto lugares, respectivamente, em qualquer que seja o cenário, mas ambos distantes dos demais concorrentes, com diferenças fora da margem de erro, que é de 3%, para mais ou para menos.

Do ponto de vista numérico, a decisão da executiva do PT em escolher Humberto Costa foi coerente, se o critério de escolha entre os dois candidatos locais da agremiação fundamentou-se no desempenho de cada um, na menciona pesquisa, em termos de intenção de votos.

Tecnicamente, a escolha pode até ser questionada por ter sido baseada em apenas um único levantamento, num determinado momento de tempo (com um dos postulantes tendo mais exposição na mídia, por exemplo), sobretudo levando-se em conta que os percentuais de intenção de votos dos dois candidatos não são assim tão diferentes, nos diversos cenários.

Note-se, também, que é altíssimo o percentual dos respondentes ainda indecisos (brancos, nulos, não sabe, não respondeu), variando de 35 a 38%. Dependendo para onde vão os votos desses indecisos o resultado pode mudar completamente.

Ao que parece, os dados da pesquisa foram usados para respaldar uma decisão política já tomada anteriormente.

Sobre o autor

Maurício Costa Romão é Master e Ph.D. em economia pela Universidade de Illinois, nos Estados Unidos, sendo autor de livros e de publicações em periódicos nacionais e internacionais...

continue lendo >> Maurício Romão

Copyright © 2012 Maurício Romão. Todos os direitos reservados.

Desenvolvimento: 4 Comunicação