Mudança

O JULGAMENTO DO ELEITOR

21/07/2014

Fonte: elaboração própria, com base em 30 pesquisas nacionais pós-manifestações de rua de junho 2013

Maurício Costa Romão

O cientista político Antônio Lavareda, baseado em estudos de Thomas Holbrook, outro grande especialista em eleições, costuma mencionar em escritos e palestras três fatores considerados decisivos na tentativa de reeleição de incumbentes: (1) avaliação de governo (popularidade); (2) percepção da população sobre a economia e (3) tempo do partido do postulante no poder.

A menos de três meses para a eleição presidencial no Brasil, e já disponíveis resultados das últimas pesquisas eleitorais pós-Copa do Mundo (Sensus/Isto é e Datafolha), é oportuno fazer uma breve análise das possibilidades de reeleição de Dilma Rousseff à luz dos fatores aludidos.

Leia mais…

ILAÇÕES INDEVIDAS

08/04/2014

Maurício Costa Romão

Desde os movimentos insurgentes de junho passado os institutos de pesquisa vêm detectando que os brasileiros querem mudanças na condução político-administrativa do país.

Capturados os percentuais dos que querem mudanças os institutos, ato contínuo, inquirem os entrevistados sobre quem está mais preparado para fazer mudanças no Brasil.

Há um problema, contudo, no caso do Datafolha. A forma pela qual o instituto está relacionando a pergunta sobre se o eleitor prefere mudanças, e a pergunta subsequente, sobre quem estaria mais preparado para fazer mudanças, está induzindo a mídia a erros de análise.

Leia mais…

NÚMEROS, SENTIMENTOS E ÂNCORAS

30/03/2014

Fonte: elaboração própria com dados do Ibope e Datafolha extraídos de F. Rodrigues/UOL

Maurício Costa Romão

A avaliação de governo é considerada pelos especialistas um dos principais fatores determinantes do voto: governos bem avaliados têm maior probabilidade de reeleger incubentes ou candidatos apoiados por eles.

Medida pela soma dos conceitos de ótimo e bom, a avaliação do governo de Dilma Rousseff atingiu apenas 36% nesta última pesquisa do CNI/Ibope de março.

O índice pode ser considerado baixo, retrospectivamente, tendo em vista que há um ano, na pesquisa do Ibope de março de 2013, a presidente exibia 63% de popularidade (outra ótica de se ver a aprovação de governo), sendo que no Nordeste esse percentual chegava a 72%.

Leia mais…

O SENTIMENTO DE MUDANÇA

26/02/2014

Fonte: elaboração própria, com base em dados do Datafolha

Fonte: elaboração própria, com base em dados do Datafolha

Maurício Costa Romão

As pesquisas eleitorais que se sucedem umas às outras continuam mostrando haver na população brasileira grande contingente de eleitores – nada menos que dois em cada três – querendo que as ações do próximo presidente sejam diferentes das praticadas pela atual administração.

Desta feita, são os dois últimos levantamentos nacionais dos institutos MDA e Datafolha, realizados agora em fevereiro, que corroboram a existência desse desejo do brasileiro. Isso quer dizer que as sementes de insatisfação plantadas nas manifestações de junho passado permanecem brotando urbi et orbi.

Leia mais…

PLEBISCITO: SEM GRANDE MUDANÇA, SISTEMA PASSA POR CORREÇÕES PONTUAIS (II)

01/02/2012

Ranier Bragon

Folha de S. Paulo, 30/01/2012

Maior escândalo recente da história política brasileira, o mensalão ajudou a reanimar antiga tese de que só ampla reforma das regras eleitorais pode colocar fim às mazelas do sistema. Assim como se fala de supostos benefícios da reforma tributária para a economia, a chamada “reforma política” parece ser a panaceia a coibir desde a compra de apoio partidário até o supostamente pernicioso “voto cacareco”, que sazonalmente empurra celebridades aos tapetes verdes e azuis de Brasília.

Leia mais…

Sobre o autor

Maurício Costa Romão é Master e Ph.D. em economia pela Universidade de Illinois, nos Estados Unidos, sendo autor de livros e de publicações em periódicos nacionais e internacionais...

continue lendo >> Maurício Romão

Copyright © 2012 Maurício Romão. Todos os direitos reservados.

Desenvolvimento: 4 Comunicação