FSP

APURAÇÃO

29/09/2012

Marina Silva

Folha de S.Paulo, 28/09/2012

Atribui-se a um famoso político brasileiro a frase “A política é a arte de fazer com que aquelas coisas que já iam mesmo acontecer aconteçam, porque nós fizemos acontecer.” Além de irônica, essa máxima revela a ideia de política como fingimento. A política real é aquela que faz acontecer o que dificilmente aconteceria sem a nossa vontade e ação. Leia mais…

NÃO, OBAMA, VOCÊ NÃO PODE

20/09/2012

Clóvis Rossi

Folha de S.Paulo, 04/09/2012

Barack Hussein Obama seduziu a América e uma parte do mundo a partir um slogan (“Yes we can”) que é bobinho. Poder, tudo pode. O problema é fazer. Quatro anos depois, às vésperas de Obama ser de novo entronizado como candidato, vê-se que o presidente pôde pouco, ainda mais se se levar em conta o grau de expectativas que despertou, não só com a retórica sedutora, mas, principalmente, pelo fato de ser o primeiro negro a chegar à Casa Branca.

Leia mais…

O PÓS-MENSALÃO

16/09/2012

Eliane Cantanhêde

Folha de S.Paulo, 04/09/2012

Quem está no banco dos réus do mensalão é o PT, mas quem cai nas eleições de São Paulo é o candidato do PSDB, José Serra. Isso só comprova que as eleições municipais, apesar de começarem a armar o jogo da sucessão presidencial, têm dinâmica própria, bem diferente da nacional. O que vale é a percepção do eleitor sobre quem é mais capaz de enfrentar o touro à unha: a saúde, a segurança, o transporte público.

Leia mais…

INTELIGÊNCIA ARTESANAL

09/09/2012

 

Nizan Guanaes

Folha de S.Paulo, 04/09/2012

A tecnologia hoje é tão disruptiva que coloca em xeque até a participação humana no processo produtivo. Por isso é melhor você prestar atenção. As notícias dessa revolução não param de aparecer. O “Wall Street Journal” revelou recentemente que a Ikea, a fabricante de móveis sueca, agora cria seus catálogos de vendas apenas com imagens produzidas digitalmente.

Leia mais…

O FILHO BASTARDO

06/09/2012

Vladimir Safatle

Folha de S.Paulo, 04/09/2012

O fenômeno Celso Russomanno poderia ser colocado na conta da inquebrantável tradição do populismo conservador paulistano. Tradição que já deu para a cidade prefeitos como Adhemar de Barros, Jânio Quadros e Paulo Maluf (com suas emulações tecnocratas, Pitta e Kassab). Políticos conservadores que, cada um à sua maneira, encontraram alguma forma de se colocar como caixa de ressonância dos medos populares.

Leia mais…

Sobre o autor

Maurício Costa Romão é Master e Ph.D. em economia pela Universidade de Illinois, nos Estados Unidos, sendo autor de livros e de publicações em periódicos nacionais e internacionais...

continue lendo >> Maurício Romão

Copyright © 2012 Maurício Romão. Todos os direitos reservados.

Desenvolvimento: 4 Comunicação