Eleições

TRIBUNAL SUPERIOR ELEITORAL APROVA CALENDÁRIO PARA AS ELEIÇÕES 2012

10/07/2011

 

Informações do TSE, em 30/06/2011  

O Plenário do Tribunal Superior Eleitoral (TSE) aprovou, na noite desta terça-feira (28), o calendário eleitoral referente às eleições municipais de 2012, O pleito será realizado no dia 7 de outubro, em 1º turno, e no dia 28 de outubro, nos municípios onde houver a necessidade de 2º turno. O calendário traz as principais datas a serem observadas por eleitores, partidos políticos, candidatos e pela própria Justiça Eleitoral.

Leia mais…

2012: SAI O CALENDÁRIO ELEITORAL

30/06/2011

Jornal do Commercio, 30/06/2011

 RIO – O Tribunal Superior Eleitoral (TSE) divulgou o calendário para as eleições municipais de 2012, que foi aprovado na noite de terça-feira (28). Ficou decidido que o primeiro turno acontece no dia 7 de outubro e o segundo turno, no dia 28 de outubro. Em 2012, os eleitores vão eleger prefeitos, vice-prefeitos e vereadores em mais de 5,5 mil municípios brasileiros.

O calendário traz as principais datas a serem observadas por eleitores, partidos políticos, candidatos e pela própria Justiça Eleitoral. Um ano antes do pleito ou seja, até 7 de outubro de 2011 todos os partidos devem ter obtido registro no TSE, mesmo prazo que os candidatos que pretendem concorrer têm para regularizarem a filiação partidária e terem como domicílio eleitoral a circunscrição na qual pretendem disputar mandato eletivo.

Leia mais…

LAVAREDA BUSCA RAZÃO DO VOTO NA NEUROCIÊNCIA

10/05/2011

 

Cesar Felício, Belo Horizonte, 09/05/2011

Valor Econômico

Eleições: Proposta envolve monitoramento cerebral, cardíaco, respiratório e ocular do eleitor

Lavareda: método detecta quando, nas pesquisas qualitativas, opiniões são emitidas por terem maior aceitação social

O cientista político Antonio Lavareda, dono do instituto Ipespe e da empresa de consultoria MCI e colaborador frequente de campanhas eleitorais do PSDB e do DEM, está propondo uma mudança radical nas estratégias de marketing político no Brasil a partir das próximas eleições. Além do suporte de pesquisas quantitativas e qualitativas, Lavareda sugere o monitoramento neurológico de grupos de eleitores. A tese de aplicar os fundamentos da neurociência na política foi apresentada na semana passada uma plateia de pesquisadores durante o Congresso Latino Americano de Opinião Pública, em Belo Horizonte.

Leia mais…

ATÉ QUANDO FICHA-SUJA NO PODER?

25/03/2011

 

Editorial do Jornal do Commercio (PE), em 25.03.2011

Costuma-se dizer que decisão judicial não se discute, cumpre-se. No caso da Lei da Ficha Limpa, porém, fica um grande espaço para discussão, por vários motivos. Um deles é numérico, o placar do Supremo Tribunal Federal (STF) no julgamento da validade, ou não, da lei para as eleições de 2010. Seis votos pela não validade, contra cinco pela validade, não caracterizam um princípio jurídico sólido, mas o exercício de opiniões. Quem acompanhou a votação pela TV do Judiciário ouviu vigorosos argumentos, de um lado e de outro, num magnífico exercício de hermenêutica – ciência de interpretação de textos –, sem o rigor das ciências exatas.

Assim, não se pode tirar dessa decisão do STF nenhuma conclusão apressada nem deve haver o desespero que tomou as multidões com a recusa das Diretas Já. Mas é importante, sim, que persista a indignação da sociedade, manifestada através de entidades que representam todos os segmentos do povo brasileiro, inclusive da magistratura, posto que uma das vozes que mais condenaram a presença dos políticos com fichas sujas no poder foi a Associação dos Magistrados Brasileiros, com o eco de entidades estaduais e das mais intransigentes fiscalizadoras da probidade administrativa, como a Associação dos Juízes para a Democracia.

Leia mais…

FICHA LIMPA AINDA MAIS AMEAÇADA

25/03/2011

Matéria do Jornal do Commercio (PE), em 25.03.2011

STF poderá alterar outros pontos da lei, se a constitucionalidade for questionada. Pelo menos 4 dos 11 ministros adiantaram que são contra alguns itens

BRASÍLIA – Fragilizada no Supremo Tribunal Federal (STF), a Lei da Ficha Limpa corre riscos reais de ser ainda mais esvaziada. “A constitucionalidade da lei referente aos seus vários artigos poderá vir a ser questionada futuramente antes das eleições de 2012”, admitiu o presidente do Tribunal Superior Eleitoral, ministro do STF e defensor da lei, Ricardo Lewandowski. Segundo ele, nesse futuro exame “a lei vai ser fatiada como um salame e será analisada alínea por alínea”.

O STF deverá se posicionar sobre a constitucionalidade da lei se alguma autoridade, partido ou entidade de classe provocar formalmente o tribunal por meio de uma ação. Na quarta-feira, os ministros apenas decidiram que a norma, publicada em junho de 2010, não poderia ter sido aplicada na eleição do ano passado porque a legislação exige que mudanças desse tipo sejam aprovadas com pelo menos 12 meses de antecedência.

Leia mais…

Sobre o autor

Maurício Costa Romão é Master e Ph.D. em economia pela Universidade de Illinois, nos Estados Unidos, sendo autor de livros e de publicações em periódicos nacionais e internacionais...

continue lendo >> Maurício Romão

Copyright © 2012 Maurício Romão. Todos os direitos reservados.

Desenvolvimento: 4 Comunicação