Coligações

DEP. FEDERAL EM PERNAMBUCO: SEM COLIGAÇÃO, NÃO HÁ SALVAÇÃO!

06/12/2010

Fonte: elaboração do autor, com base em dados do TSE/TRE

Por Maurício Costa Romão

O progressivo crescimento do quociente eleitoral ao longo dos pleitos torna-o cada vez mais inatingível para a maioria dos partidos;

Por conta disso, do ponto de vista eleitoral, a celebração de alianças passou a ser uma questão de sobrevivência – e às vezes de negócio – para os pequenos partidos, e um expediente que é dos mais vantajosos para os grandes.

Estes últimos, normalmente com candidatos mais competitivos, tendem a se beneficiar da agregação de votos oriundos das siglas menores, já que os eleitos são os mais votados da coligação.

Na última eleição, por exemplo, dos 26 partidos que concorreram para deputado federal em Pernambuco, nada menos que 18 não ultrapassaram individualmente o quociente eleitoral de 176.207 votos (apesar de quatro deles terem conquistado cadeiras porque se coligaram).

Leia mais…

VOTAÇÃO P/ DEP. FEDERAL (PE), POR PARTIDO/COLIGAÇÃO – 2010

30/11/2010

Por Maurício Costa Romão

Fonte: elaboração do autor, com base em dados do TSE/TRE

VOTAÇÃO P/ DEP. ESTADUAL (PE) POR PARTIDO/COLIGAÇÃO – 2010

29/11/2010

Por Maurício Costa Romão

Fonte: elaboração do autor, com base em dados do TSE/TRE

SEM ALIANÇAS, PT, PMDB E PSDB CRESCERIAM

24/11/2010

Fernando Rodrigues

Folha de S. Paulo, 22/11/2010
 
Siglas teriam feito 62 deputados federais a mais se coligações na disputa pela Câmara não fossem permitidas

Partidos tradicionais se aliam a nanicos por mais tempo de TV; 6 siglas só elegeram representante por estarem coligadas

Se os três maiores partidos brasileiros não tivessem se coligado a nenhum outro na eleição deste ano para obter vagas na Câmara dos Deputados, suas bancadas somadas chegariam a 282 cadeiras. Como se coligaram, PT, PMDB e PSDB conquistaram juntos apenas 220 deputados para a legislatura que começa em 2011.

A diferença de 62 deputados (12% da Câmara) se dividiu entre partidos pequenos. Seis dessas agremiações só têm deputados eleitos por causa dessa “sobra” de cadeiras das siglas maiores.

O Brasil tem 27 partidos políticos registrados oficialmente na Justiça Eleitoral. A rigor, todos podem se aliar na eleição para a Câmara, independentemente de serem adversários nas disputas para presidente da República ou para governador.

Leia mais…

QUEM É O PALHAÇO?

20/09/2010

José Roberto Toledo

O Estado de S.Paulo, 14/09/2010

Francisco Everardo Oliveira Silva corre o risco de ser o deputado federal mais votado do Brasil em 3 de outubro. Não se espante se você não reconhece o nome, nem seus próprios eleitores reconheceriam. Oliveira Silva é conhecido apenas por seu apelido, Tiririca.

Ele aparece em primeiro lugar no conjunto de pesquisas do Ibope sobre a eleição para a Câmara dos Deputados em São Paulo. Como é o Estado com o maior eleitorado, não será surpresa se Oliveira Silva acabar sendo o campeão nacional de votos de 2010.

Se você não tem visto muita TV nas últimas décadas e passou incólume pela propaganda eleitoral até agora, Tiririca é ator e palhaço profissional. Tem 45 anos, lê e escreve, se autodefine como “abestado” e seu slogan é “pior que tá num fica, vote Tiririca”.

Leia mais…

Sobre o autor

Maurício Costa Romão é Master e Ph.D. em economia pela Universidade de Illinois, nos Estados Unidos, sendo autor de livros e de publicações em periódicos nacionais e internacionais...

continue lendo >> Maurício Romão

Copyright © 2012 Maurício Romão. Todos os direitos reservados.

Desenvolvimento: 4 Comunicação