Cesar Maia

UMA NOTA TÉCNICA! DATAFOLHA: PESQUISAS EM INÍCIO DE CAMPANHA ELEITORAL!

15/08/2012

 

César Maia
1. O Datafolha -instituto acima de qualquer suspeita- faz pesquisas em pontos de fluxo –corredores comerciais. O aconselhável, segundo estatísticos, é que duplique ou triplique a amostra em relação a uma pesquisa residencial. A teoria indica que nos corredores de fluxo a opinião pública converge e se concentra. Certo. Mas isso vale sempre para avaliação de fatos de conhecimento geral.

Leia mais…

SOBRE AS NOSSAS CÂMARAS MUNICIPAIS

24/07/2012

Cesar Maia

Folha de S.Paulo, 21/07/2012

A Constituição de 88 deu força a vereadores. Mas, com o tempo, eles deixaram de representar bairros ou ideologias. Hoje em dia, quase todos são de clientela.

O processo constituinte de 1986 (eleições), 1987 e 1988 ocorreu num auge do movimento municipalista liderado pelo próprio governador de São Paulo, Orestes Quércia. A começar pelo artigo primeiro da nova Constituição, que incluiu os municípios como entes federados, igualando seu status político ao dos Estados. É o único caso no mundo de Federação com esse status municipal.

Leia mais…

REDES & REDES!

26/06/2011

 

Cesar Maia

Folha de S.Paulo, 25/06/2011

As redes políticas não são uma novidade. Há as tradicionais, como jornais partidários, mala direta etc. Nos últimos anos, surgiram as redes na internet, primeiro as de e-mail. A diferença entre as redes tradicionais e as da internet é que as primeiras são unilaterais: o emissor é ativo e o receptor, passivo. Já as redes na internet criam um espaço interativo em que todos são potenciais produtores de conteúdo.

Os políticos e suas “newsletters” usam a mesma lógica das redes tradicionais. A internet apenas facilita. Com as redes sociais interativas -como Facebook, Orkut, Twitter- o uso tradicional de uma “newsletter” torna-se obsoleto. Há, nas redes sociais, uma doce ilusão. A “audiência” de todos os instrumentos na internet é maior que a soma da audiência/circulação de todos os meios de comunicação. Só que os meios de comunicação relevantes são poucos e alcançam (unilateralmente) milhões de pessoas. Por mais força interativa que tenham, continuam unilaterais.

Leia mais…

INDIGNADOS

11/06/2011

 

Cesar Maia

Folha de S.Paulo, 11/06/2011

Manuel Castells apresentou, em 2009, seu livro “Comunicación y Poder” numa conferência na Universidade Complutense de Madri (ver no YouTube). Trata da mudança da política pela transformação da comunicação. A construção do poder é a capacidade de atores sociais influenciarem outros, de maneira a reforçar o seu poder. Onde há poder existe contrapoder ou resistências às relações institucionalizadas. A batalha pelas mentes se joga na comunicação. Não é o Estado, e sim a comunicação, o instrumento básico de construção do poder.

Leia mais…

PONTOS FORA DA CURVA

07/06/2011

Cesar Maia

Folha de S.Paulo, 04/05/2011

A política tem tendências de longo prazo que se expressam, em números aproximados, nos processos eleitorais. Nas eleições de 1947, por exemplo, PTB e PCB -partidos ligados ao “trabalhismo”- somaram uns 12% dos deputados federais. Nas eleições seguintes, foram crescendo progressivamente, até que em 1962 o PTB tornou-se o principal partido, com uns 30% dos deputados federais.

O golpe de 1964 interrompeu esse processo, mas apenas provisoriamente. Com a redemocratização, o “trabalhismo” retornou com cara própria -com o PDT e o PT, inicialmente. E esse processo se repetiu: partindo praticamente de uns 10% dos deputados federais, seu crescimento foi permanente. A diferença é que agora o “trabalhismo” é muito mais pulverizado.
O PT tem 16,5% dos deputados, e a este somam-se PDT, PSB, PC do B, PSOL… para chegar aos mesmos 30% ou pouco mais.

Leia mais…

Sobre o autor

Maurício Costa Romão é Master e Ph.D. em economia pela Universidade de Illinois, nos Estados Unidos, sendo autor de livros e de publicações em periódicos nacionais e internacionais...

continue lendo >> Maurício Romão

Copyright © 2012 Maurício Romão. Todos os direitos reservados.

Desenvolvimento: 4 Comunicação