Sensus Altera Formulário de Pesquisas

14/05/2010

Por Maurício Costa Romão

Matéria do Jornal “Folha de S.Paulo” (14/05/2010)

Instituto não vai mais fazer questões prévias antes de perguntar qual a intenção de voto. Para diretor do Datafolha, perguntas antes da principal podem distorcer resultados; Sensus diz que mudou para evitar disputas na Justiça DA SUCURSAL DE BRASÍLIA

O instituto Sensus resolveu mudar, na pesquisa de intenção de voto para presidente da República que finaliza hoje, a ordem das perguntas que apresenta aos seus entrevistados.

O novo questionário do Sensus agora vai direto à indagação sobre o candidato do eleitor, abandonando método, usado também por outros institutos, de fazer perguntas políticas prévias antes da principal.

Na pesquisa que apresentou o resultado até agora mais apertado entre o tucano José Serra e a petista Dilma Rousseff -32,7% a 32,4%, em 13 de abril-, o Sensus perguntava antes o partido de preferência do entrevistado, qual era a sua avaliação sobre o governo do presidente Lula e por que ele tinha essa opinião. Quatro dias depois, pesquisa do Datafolha apontou diferença pró-Serra de dez pontos percentuais -38% a 28%.

O método de, no jargão do meio, “esquentar” o entrevistado com perguntas prévias é motivo de controvérsia entre os institutos de pesquisa e foi questionado pelo PSDB, que chegou a vistoriar, com autorização da Justiça, os questionários arquivados na sede do instituto Sensus.

Para o diretor-geral do Datafolha, Mauro Paulino, a introdução de outros assuntos antes da pergunta central do levantamento pode influenciar a resposta dos entrevistados. O Vox Populi e o Ibope também têm o costume de usar perguntas prévias antes de averiguar a intenção de voto

Por meio de sua assessoria, o Sensus afirma que, apesar de estar convicto de que a ordem das perguntas não altera o resultado da pesquisa, decidiu realizar a mudança como forma de se prevenir contra possíveis ações protelatórias na Justiça Eleitoral.

Com a alteração adotada pelo Sensus em sua última pesquisa, pode ficar comprometida a comparação com o levantamento anterior, já que os formulários são diferentes. A atual pesquisa foi encomendada pela CNT (Confederação Nacional do Transporte) e será divulgada na próxima segunda-feira.

(RANIER BRAGON)

Nenhum Comentário
Deixe seu comentário
Sobre o autor

Maurício Costa Romão é Master e Ph.D. em economia pela Universidade de Illinois, nos Estados Unidos, sendo autor de livros e de publicações em periódicos nacionais e internacionais...

continue lendo >> Maurício Romão

Copyright © 2012 Maurício Romão. Todos os direitos reservados.

Desenvolvimento: 4 Comunicação