PSD: APOIO, SIM, MAS COM O RIGOR DA LEI

30/07/2011

 

Gilberto Kassab

Folha de S. Paulo, 29/07/2011


Nosso partido repudia toda e qualquer ilicitude na coleta de assinaturas, e pede a suas bases que denunciem logo qualquer indício de falsificação


“Quando a verdade é dita, a justiça é feita” (Provérbios, 12.17, Bíblia, NTLH). Cumprindo exigência da Justiça Eleitoral, o PSD vem recebendo há três meses, por todo o país, assinaturas de brasileiros que apoiam sua criação. Não se trata de filiação partidária, o que ocorrerá em outro momento, após sua existência legal -aí, sim, por meio de preenchimento de ficha partidária. Por lei, um novo partido deve recolher o apoio de quase 500 mil eleitores no Brasil inteiro. Esses apoiamentos (esse é o termo) são encaminhados à Justiça Eleitoral.

É um trabalho de enorme amplitude e, por isso mesmo, sujeito a muitos problemas. Além de não aceitar ou concordar, o PSD repudia, condena e lamenta que possa haver coletas irregulares. E não apenas aplaude e agradece, como pede que a Justiça continue a fazer com o máximo rigor o que lhe compete fazer: conferir os dados, os nomes, as assinaturas e a veracidade dos documentos.

A coleta de assinaturas é coordenada em 23 Estados por senadores, deputados federais e estaduais, governadores, vice-governadores, prefeitos e vices, vereadores e lideranças comunitárias de centenas de municípios. Eles têm a ajuda de milhares de militantes, que vão em busca dos eleitores para pedir seu apoio e assinaturas nas fichas.
Sem contar outras milhares de pessoas que procuram voluntariamente o partido nesses municípios para levar as fichas a parentes e amigos e devolvê-las preenchidas.

O PSD tem trabalhado para facilitar a certificação desses apoiamentos nos cartórios da Justiça Eleitoral. Adotamos fichas individuais, que devem ser preenchidas com nomes completos e legíveis, conferidos cuidadosamente com os documentos apresentados na hora pelo apoiador.

As fichas também precisam ser assinadas na hora. Qualquer erro, por mínimo que seja, pode anular o documento ou levantar suspeitas de irregularidades.

Por essa razão, antes do envio à Justiça Eleitoral, uma conferência prévia tem sido feita pelo partido, com rejeição de milhares de fichas que poderiam suscitar dúvidas em relação à sua regularidade. Mas ainda assim há problemas.
O PSD tem acompanhado as denúncias feitas a jornais e a Tribunais Regionais Eleitorais e manifesta, mais uma vez, repúdio a toda e qualquer ilicitude nessa coleta.

Pede também às lideranças e às bases políticas em todo o país que estejam atentas e denunciem imediatamente qualquer indício de falsificação, movimento de pessoas suspeitas, mal-intencionadas, mal orientadas ou estranhas ao processo de coleta de apoiamento, que possam atrapalhar ou impedir nosso trabalho e que busquem confundir ou fraudar nosso esforço para criar o PSD.

Queremos também, acima de tudo, agradecer a todos os milhares de cidadãos que, no país inteiro, já preencheram, assinaram e prestigiaram nosso partido.

Temos plena confiança de que o PSD vencerá todos os obstáculos e vai conseguir o apoio necessário para nascer forte, consciente do papel que deverá cumprir política e administrativamente.
Essa confiança vem da acolhida popular e do testemunho do que temos presenciado e sentido nas dezenas de reuniões já realizadas nos vários Estados; vem também do número surpreendente de assinaturas e do entusiasmo com que as adesões são externadas, com transparência, com verdade, com energia e com o desejo de participar e lutar por um Brasil melhor.


GILBERTO KASSAB, engenheiro e economista, é prefeito da cidade de São Paulo e presidente nacional do PSD. Foi secretário municipal de Planejamento (gestão Pitta).

Os

Nenhum Comentário
Deixe seu comentário
Sobre o autor

Maurício Costa Romão é Master e Ph.D. em economia pela Universidade de Illinois, nos Estados Unidos, sendo autor de livros e de publicações em periódicos nacionais e internacionais...

continue lendo >> Maurício Romão

Copyright © 2012 Maurício Romão. Todos os direitos reservados.

Desenvolvimento: 4 Comunicação