Os 30 maiores nordestinos na História (e no Google)

26/04/2010

Não é uma tarefa fácil escolher os maiores nordestinos na História, mas, em tempos de “nunca antes neste país”, talvez seja importante fazê-lo. Além disso, um exercício como esse dá oportunidade de refletirmos sobre as relações mútuas entre a economia regional e alguns de seus mais importantes personagens. Não só a economia, mas a organização social de forma ampla.

Lanço abaixo uma lista preliminar. (Sugestões de novos candidatos são bem vindas.) Cheguei aos trinta nomes do quadro pelo seguinte procedimento. Primeiro, reuni um grupo grande de pessoas que, tendo nascido na região, ou apenas atuado no Nordeste, ganharam notoriedade. Desse grupo, exclui as personalidades ainda vivas, em relação às quais não temos perspectiva histórica. O passo seguinte foi distribuir as celebridades em seis categorias (Políticos, Empresários, Religiosos, Literatos, Artistas e “Perseguidos”). Finalmente, os nomes foram submetidos ao buscador Google. Os cinco que apareceram com maior número de citações, em cada categoria, foram, então, “eleitos”.

O método é questionável, claro. Em alguns casos, as distorções eram tão óbvias que decidi ignorar os resultados. Um caso extremo: o nome “João Pessoa”, com as aspas, tem 9.480.000 citações na internet; mas é claro que elas se referem muito mais à cidade do que ao político paraibano assassinado em 1930. Nessas condições, achei melhor desclassificar o candidato. Há uma infinidade de outros problemas, que não pretendo negar, mas esse parece ter sido o maior. Foi o único em que os resultados do Google foram ignorados.

O quadro pode ser lido horizontalmente ou coluna por coluna. Na primeira opção, um fato a destacar é que, dos seis primeiros lugares em suas respectivas categorias, nada menos de quatro são originários ou atuaram no Sertão e Agreste: Assis Chateaubriand, Padre Cícero, Luiz Gonzaga e Lampião. Mesmo levando em conta que Chateaubriand e Luiz Gonzaga fizeram suas carreiras, principalmente, no “sul” do país, essa alta incidência é surpreendente, pois contrasta com a pequena importância demográfica ou econômica que o Semiárido nordestino sempre teve. Como explicá-la?

Talvez uma pista apareça na leitura vertical. Aí veremos que não há, na relação do quadro, nenhum “político” ou “literato” (e há apenas dois empresários, Chateaubriand e Delmiro Gouveia) com raízes ou atuação no Nordeste seco. Por outro lado, três dos religiosos (Padre Cícero, Beato Lourenço e Antonio Conselheiro), três dos artistas (Luiz Gonzaga, Vitalino e Patativa do Assaré) e três dos “perseguidos” (Lampião, Corisco e Antonio Silvino) são originários ou se tornaram célebres vivendo no Sertão e Agreste.

Ou seja, numa conclusão muito preliminar: sempre houve gente com fibra e energia, no Nordeste seco. Algumas dessas pessoas conseguiram dar vazão aos seus talentos sendo líderes religiosos (via de regra, em confronto com a Igreja oficial), ou artistas populares (atuando na sua cidade natal, ou falando sobre a região para os nordestinos da diáspora), ou em confronto com o poder legal e, consequentemente, sendo “perseguidos”: o caso de Lampião é, apenas, o mais notório.

Fora dessas atividades, ou seja, na política, no mundo empresarial e na literatura, as possibilidades de ascensão tendem a ser mais restritamente determinadas pela economia: nada surpreendentemente, portanto, em tais áreas, os litorâneos sempre dominaram.

12 Comentários
Arnaldo Modesto

Não podemos esquecer: JOSÉ MARIA (Guerra do Contestado) e JOÃO CÂNDIDO (Revolta da Chibata).

Arnaldo Modesto

Desculpe o equívoco: são apenas nordestinos.

morgana

o luiz gonzaga o melhor

Daniel Espírito Santo

É bom fazer o sulista brasileiro, presunçoso e xenófobo - conhecer a parcela da cultura,da política, e da economia que o nosso país recebeu do povo nordestino; não somos melhores, mas nunca piores!

CARLOS BRUNI

OS NORDESTINOS SÃO LADROES POR EXCELENCIA. . ESTÁ NO SANGUE . JÁ NO TEMPO DE D.PEDRO , FOI CRIADO O DNOCS PARA SATISFAZER A DESENFREADA GULA E AMBIÇÃO DOS SENHORES POLITICOS , ONERANDO DESDE AQUELA EPOCA O TESOURO NACIONAL A XENOFOBIA DO SULISTA NASCE DA COMPETENCIA DO MESMO , QUE NÃO NECESSITA A MÃOZINHA AMIGA DO GOVERNO CENTRAL NEM DE QUOTAS .PARA SE ALIMENTAR

PAULA GOMES

Eu sugiro acrescentar o nome de Clovis Bevilaqua, o maior civilista que o Brasil já teve.

PAULA GOMES

Também gostaria de incluir o nome de Raquel de Queiroz, a primeira mulher a compor a Academia Brasileira de Letras.

PAULA GOMES

O nome de José de Alencar, patrono da Academia Brasileira de Letras, o nome de Bárbara de Alencar, primeira mulher revolucionária e reconhecida oficialmente como heroína da pátria e o nome de Ariano Suassuna, membro da Academia Brasileira de Letras e um dos maiores defensores da cultura nordestina, também devem ser incluídos.

Breno Paredes

Não são só "nordestinos", são um povo de brado forte, que não se deixa abater por nada, aquele que abri sua boca para falar mal de um nordestino, não sabe o que é ser Nordestino e muito menos a história deste pais, que sobre e abaixo de muito suor nordestino cresceu e criou raízes fortes.

Rovilson Ramalho dos Santos

Talvez merecia está nesta lista o saudoso ex presidente Café Filho que assumiu a presidência da república após falecimento do saudoso presidente Getúlio Vargas.

Sensatez

Perfeitamente dispensáveis. Se trouxéssemos sírios, ao invés de nordestinos, p/ fazer os nossos ''trabalhos sujos'', em poucos anos eles estariam ricos; os nordestinos continuariam como chegaram. Sempre foi assim. É cultural. E contra cultura não há como se lutar, hoje em dia. O jeito é dividirmos o país, para nos salvar essa escória, enquanto não destruam tudo. Recentemente, eles descobriram a minha bela e Santa Catarina, e algumas cidades já viraram caos e baderna, como é de prache no NE.

Az Botelho Paiva

O que há a se lamentar, é que com tantos nomes Masculinos/femininos, outrora existentes no Norte/Nordeste, dentro da cultura geral, incluindo também a política, termos que aturar um bando de desinformados Nortistas/nordestinos, apoiando o mais desinformado dentre todos os nordestinos nascidos por aquelas bandas. Estou me referindo ao Santo Lula. Será que não surgiu, ainda, alguém com mais competência, no Norte ou no Nordeste, que possa vir a governar o Brasil? Ou corremos o risco de termos a nos representar um cidadão que jacta-se com orgulho de dizer que, nunca leu um único livro? E que ler é muito chato. Pense. Qualquer duvida me ligue. Combinado?

Deixe seu comentário
Sobre o autor

Maurício Costa Romão é Master e Ph.D. em economia pela Universidade de Illinois, nos Estados Unidos, sendo autor de livros e de publicações em periódicos nacionais e internacionais...

continue lendo >> Maurício Romão

Copyright © 2012 Maurício Romão. Todos os direitos reservados.

Desenvolvimento: 4 Comunicação