NÚMEROS DA PESQUISA IPMN CONFIRMAM VIRADA DE FERNANDO BEZERRA E APONTAM SUA VITÓRIA EM OUTUBRO

02/10/2014

Maurício Costa Romão

Com trabalho de campo levado a efeito entre os dias 29 e 30 de setembro o Instituto de Pesquisa Maurício de Nassau (IPMN), em parceria com o portal LeiaJá e o Jornal do Commercio, realizou sua última pesquisa de intenção de votos relativa ao pleito deste ano de 2014 para senador do Estado de Pernambuco.

O candidato do PSB, Fernando Bezerra Coelho, registrou 35% de intenções de voto, seis pontos à frente do seu principal opositor do PT, João Paulo, que alcançou 29%. O resultado está fora da margem de erro de dois pontos percentuais.

Na pesquisa anterior do IPMN, realizada nos dias 22 e 23 de setembro, cujo placar foi de 32% a 30% para o pessebista, o instituto notabizou-se por ter sido o primeiro a mostrar o ex-ministro numericamente à frente do seu principal opositor, o deputado federal João Paulo (o mesmo aconteceu nas pesquisas dos dias 8 e 9 para governador, quando o IPMN e o Datafolha detectaram, pela vez primeira, a ultrapassagem de Paulo Câmara sobre Armando Monteiro).

Enfim, nesta última semana, Fernando Bezerra oscilou positivamente três pontos percentuais e o candidato petista involuiu um.

Diferentemente de seu companheiro de chapa, Paulo Câmara, que vivenciou exponencial crescimento de manifestações de voto após a morte do ex-governador Eduardo Campos, o ex-ministro teve sempre uma evolução positiva discreta, porém contínua.

Tanto assim é que só conseguiu a proeza de ficar numericamente à frente do seu forte adversário do PT na terceira semana de setembro, conforme atestado na mencionada pesquisa anterior do IPMN.

Essa vantagem numérica de Fernando Bezerra a apenas quatro dias do pleito, aliada à trajetória persistente de crescimento de intenções de voto que vem exibindo e à exuberância da frente de votos imposta pelo seu companheiro de chapa ao senador Armando Monteiro, já permite antever, com base nesta pesquisa do IPMN, sua vitória no pleito de 5 de outubro.

De fato, levando em consideração apenas os votos válidos, quando são excluídos os votos brancos, nulos e indecisos, o placar favorável a Fernando Bezerra é de 54% a 44%, uma diferença de 10 pontos, segundo o IPMN.

Essa frente na pesquisa, quando cotejada com a realidade das urnas, indica que Fernando teria cerca de 2.163 mil votos válidos contra 1.763 mil votos de João Paulo. A vitória pessebista dar-se-ia, então, por uma diferença de 400 mil votos num total estimado de 4.006 mil votos válidos.  

Estes números projetados se assentam no pressuposto de que os percentuais de votos brancos e nulos e de abstenção em Pernambuco, cujo total alcançou 41% nas urnas no primeiro turno de 2010, sejam mantidos em 2014.

Pode-se especular, todavia, que essa alienação eleitoral venha a aumentar no pleito de outubro próximo, em função dos desdobramentos das inquietudes que reverberaram no país em junho do ano passado, através das quais se desenvolveu forte aversão à política e aos políticos.

Mesmo que essa descrença de fato redunde em aumento nas taxas eleitorais de indiferença (votos em branco), de protesto (voto nulo), e de desânimo (abstenção), ainda assim não haverá mudança nos resultados da eleição.

Com efeito, mantida, ceteris paribus, a atual configuração de números da pesquisa do IPMN, mesmo com uma taxa de alienação eleitoral na casa dos 45% a vitória de Fernando Bezerra estaria assegurada, apenas que desta feita por uma margem menor, de 382 mil votos válidos.

————————————————————————

Maurício Costa Romão, Ph.D. em economia, é consultor da Contexto Estratégias Política e Institucional, e do Instituto de Pesquisa Maurício de Nassau. mauricio-romao@uol.com.br, http://mauricioromao.blog.br.

Nenhum Comentário
Deixe seu comentário
Sobre o autor

Maurício Costa Romão é Master e Ph.D. em economia pela Universidade de Illinois, nos Estados Unidos, sendo autor de livros e de publicações em periódicos nacionais e internacionais...

continue lendo >> Maurício Romão

Copyright © 2012 Maurício Romão. Todos os direitos reservados.

Desenvolvimento: 4 Comunicação