NANICOS AUMENTAM TEMPO DE TV E GANHAM TRUNFO EM NEGOCIAÇÕES

20/12/2010

Novas bancadas dão a siglas pequenas mais espaço na propaganda

Silvio Navarro
Folha de S.Paulo, 19/12/2010

O crescimento das bancadas na Câmara dos Deputados dos partidos que apoiaram a eleição da presidente Dilma Rousseff (PT) renderá a siglas de pequeno e médio porte um trunfo para negociar alianças nas futuras eleições: o tempo de TV.

Nas próximas disputas, partidos como PR, PSB, PSC, PDT, PP e PRB, que ampliaram suas bancadas de deputados, terão direito a um espaço maior na propaganda eleitoral na TV. Isso porque dois terços do tempo -16min40s dos 25min- destinado a cada sigla pela Justiça Eleitoral são calculados proporcionalmente ao tamanho das bancadas de deputados.

Por exemplo: o PR, que de largada tem direito a 48 segundos, passará a ter 1min20s. A legenda saltou de 25 eleitos em 2006 para 41.O crescimento ocorreu na esteira dos votos do palhaço Tiririca (SP), deputado federal mais bem votado do país, e de Anthony Garotinho (RJ).

O outro terço dos 25 minutos na TV -8min20s- é dividido igualmente para todos os candidatos.

Como os candidatos concorrem amparados por coligações, o tempo de cada um na tela é calculado pela soma da cota de cada partido aliado, mais a fatia que é dividida igualitariamente a todos os candidatos.

Neste ano, Dilma teve 42% do tempo de TV. Seu adversário José Serra (PSDB) ficou com 28,5%. A petista concorreu com apoio de dez siglas, ante seis do tucano. Marina Silva, que disputou isolada pelo PV, só ficou com 5%.

A projeção do tempo de cada partido foi feita pela Folha, a partir da fórmula indicada pelo TSE (Tribunal Superior Eleitoral), e a mais recente base de novos deputados fornecida pela Câmara.

As únicas alterações possíveis ocorrerão com decisões pendentes da Lei da Ficha Limpa, que podem ainda mudar o resultado.

Esse cálculo do tempo de TV será aplicado nas eleições municipais de 2012 e também valerá para 2014. Mesmo que as bancadas mudem de tamanho nos próximos anos, é essa a composição que seguirá valendo.

Com o maior número de cadeiras na Câmara (86), o PT é a sigla que já conta com o maior espaço na TV: 2min47s. O PMDB terá 2min31s.

OPOSIÇÃO

O encolhimento das cadeiras da oposição na Câmara reduzirá a fatia na TV de PSDB, DEM, PPS e PTB. Entre eles, o menos afetado foi o PTB, que perderá apenas quatro segundos, porque seus candidatos conseguiram se eleger se isolando da chapa de oposição no plano nacional.

O DEM, por exemplo, terá 43 segundos a menos do que a cota atual. Os tucanos encolherão 25 segundos, e o PPS, 20 segundos.

Essa projeção desfavorável, entretanto, deverá ter peso mais significativo nas eleições de 2014.

No caso das próximas disputas municipais, o cenário deve ser relativizado porque alianças regionais não costumam seguir a lógica do panorama nacional.

PMDB e PR, por exemplo, que integram a base aliada do presidente Lula e manterão o apoio a Dilma, encamparam a candidatura do prefeito Gilberto Kassab (DEM) em São Paulo, em 2008.

Nenhum Comentário
Deixe seu comentário
Sobre o autor

Maurício Costa Romão é Master e Ph.D. em economia pela Universidade de Illinois, nos Estados Unidos, sendo autor de livros e de publicações em periódicos nacionais e internacionais...

continue lendo >> Maurício Romão

Copyright © 2012 Maurício Romão. Todos os direitos reservados.

Desenvolvimento: 4 Comunicação