MISTURA DE LETRAS!

07/02/2014

Fonte: Dantas, H (2013). Cadernos Adenauer, xiv, nº 2, pp. 127-145.

Maurício Costa Romão

Em estudo recente o cientista político Humberto Dantas catalogou dados junto ao TSE sobre as alianças partidárias que se formaram em 2012 na eleição para prefeito nos 5.565 municípios brasileiros.

O quadro acima mostra o resultado do estudo para os 10 maiores partidos nacionais (no Brasil existem 32 partidos oficialmente registrados no TSE, embora apenas 21 tenham representação parlamentar na Câmara Federal).

Observe-se, de início, que nenhum cruzamento é inferior a mil cidades, o que significa que cada um dos partidos listados celebrou aliança com qualquer um dos outros nove em pelo menos 20% dos municípios, exceto em quatro casos (com um pouco menos de 20%): PT com o DEM, com o PSDB e com o PPS e este com o PR.

Por exemplo, PT e PSDB, dois partidos que se apresentam politicamente como sendo um a negação do outro se coligaram em 1.104 cidades na eleição passada. PPS com PT, que não se bicam, estiveram juntos em 1007 cidades. DEM e PT que não se suportam, celebraram alianças em 1041 municípios.

De forma mais consistente, pode-se dizer assim, PT e PMDB, que há anos estão unidos no plano federal, se juntaram em mais de duas mil cidades (2.028) e DEM e PSDB, que há tempos são aliados, quase chegam lá nessa marca (2.000), com acordos fechados em 1.991 localidades.

Como disse o autor do estudo: “literalmente falando, todos são capazes de jogar com todos”.

Quem é que pode atirar a primeira pedra, cobrando coerência dos demais?

 

 

Nenhum Comentário
Deixe seu comentário
Sobre o autor

Maurício Costa Romão é Master e Ph.D. em economia pela Universidade de Illinois, nos Estados Unidos, sendo autor de livros e de publicações em periódicos nacionais e internacionais...

continue lendo >> Maurício Romão

Copyright © 2012 Maurício Romão. Todos os direitos reservados.

Desenvolvimento: 4 Comunicação