DORMINDO COM O PODER

07/02/2012

 

Ana Carolina Peliz

Blog do Noblat, 02/02/2012

A jornalista Anne Sinclair, esposa do ex-diretor do FMI Dominique Strauss Kahn, assumiu a direção da versão francesa do site Huffington Post na semana passada. Durante uma coletiva de imprensa no dia da posse, perguntaram para Sinclair se ela não enfrentaria um conflito de interesses entre profissão e vida privada. Ela disse que não, já que seu marido não exercia mais uma função pública.

 A pergunta é interessante em um país onde é comum que as relações entre jornalistas e poder público sejam levadas para o âmbito doméstico. Além do estranho casal Sinclair-DSK, outros pares formados por jornalistas e políticos vivem sem complexo suas relações.

O atual candidato à presidência do Partido Socialista, o PS, François Hollande, é casado com Valérie Trierweiler, que trabalhou como jornalista política até 2011 e atualmente se dedica à campanha de Hollande. Isto significa que existe a possibilidade de que a próxima primeira-dama da França seja uma jornalista.

O candidato nas primárias do PS às presidenciais francesas, Arnaud Montebourg, que surpreendeu por ter conseguido quase 20% dos votos, superando Segolène Royale, namora a jornalista Audrey Pulvar. A candidatura de Montebourg não impediu Pulvar de entrevistar todos os candidatos em campanha para as primárias socialistas. Atualmente ela é comentarista em um programa onde sabatina os candidatos às eleições presidenciais francesas.

Outro casal midiático-político é formado pela jornalista Christine Ockrent e o ex-ministro de Relações Exteriores do governo de Nicolas Sarkozy, Bernard Kouchner. Ela é a mulher mais poderosa da mídia francesa, tanto que costuma ser chamada de “rainha Christine”.

Depois de se afastar da televisão em 2007, quando seu companheiro foi nomeado ministro, Ockrent passou a reinar como diretora geral do Audiovisual Exterior da França, uma holding que supervisiona as atividades do serviço público de rádio e televisão com circulação no exterior. Envolvida em um escândalo de espionagem, ela se afastou do cargo em 2011.

Segundo o escritor francês Philippe Reinhard, autor do livro Presse et pouvoir, un divorce impossible (Imprensa e poder, um divórcio impossível), entre políticos e jornalistas o divórcio é impossível por causa dos filhos. De um lado os eleitores e do outro os leitores. Os políticos franceses entenderam que é melhor continuarem literalmente casados com a imprensa para não perderem a guarda das crianças, principalmente em ano de eleições.

 

Ana Carolina Peliz é jornalista, mora em Paris há cinco anos onde faz um doutorado em Ciências da Informação e da Comunicação na Universidade Sorbonne Paris IV. Ela estará aqui conosco todas as quintas-feiras.

 

Nenhum Comentário
Deixe seu comentário
Sobre o autor

Maurício Costa Romão é Master e Ph.D. em economia pela Universidade de Illinois, nos Estados Unidos, sendo autor de livros e de publicações em periódicos nacionais e internacionais...

continue lendo >> Maurício Romão

Copyright © 2012 Maurício Romão. Todos os direitos reservados.

Desenvolvimento: 4 Comunicação