DISPUTA PARA SENADOR EM PERNAMBUCO: LÍDERES EMPATAM EM TODAS AS PESQUISAS.

26/07/2010

Por Maurício Costa Romão

Fonte: Mai (Ibope), Jun (Exatta), Jul 1 (IMN); Jul 2 (Exatta), Jul 3 (Datafolha),

Na corrida para o senado em Pernambuco, Independente do instituto que realizou a pesquisa, e da margem de erro adotada, nota-se um rigoroso empate técnico, em termos de intenção de votos, entre os postulantes que se alternam na liderança, Marco Maciel e Humberto Costa.

O máximo de diferença de intenção de votos em cada pesquisa, entre os dois candidatos mais bem avaliados, foi de 3,1 pontos percentuais, no levantamento do IMN, mas que ocorreu dentro da margem de erro (2,5% para mais ou para menos).   Em um caso, pelo menos, aconteceu mais que empate técnico, registrou-se também empate numérico: 42% a 42% (Empresa Exatta).

Os números do candidato colocado em terceiro lugar, Armando Monteiro, embora relativamente distantes da linha de frente podem ser considerados expressivos, com possibilidades de crescimento, já que a chapa da qual Armando faz parte -a chapa situacionista – lidera com folga as pesquisas de intenção de votos no estado.

Raul Jungmann, que vem em quarto lugar, registrando percentuais de intenção de votos mais tímidos, está em grande movimentação em busca de votos e apoiamentos e pode vir a aumentar sua participação nos números dos levantamentos futuros.

Há que se ter presente o enorme contingente de eleitores que dizem votar em branco, ou que vão anular o voto, ou que simplesmente não sabem ou não quiseram dizer em quem votar.

Por exemplo, neste último levantamento do Datafolha, em que os dados para o senado foram divulgados hoje, dia 26, no portal do UOL, os eleitores que declaram votar em branco, anular o voto, ou que não iriam votar em nenhum dos candidatos, somaram 23%. Contudo, os entrevistados que disseram não saber em quem votar totalizaram 42%! Isso significa que há bastante espaço para conquista de votos.

A campanha na televisão que começa a partir de 17 de agosto pode ser o principal veículo da aproximação do candidato ao eleitor que, pelos percentuais de “alheamento eleitoral” mostrados nas pesquisas, parece ainda não estar totalmente conectado com a campanha em curso e vai cristalizar suas preferências mais à frente, coma a aproximação da data do pleito.

Em síntese, analisando do ponto de vista da evolução dos percentuais de intenção de votos de maio até agora, os números mostrados indicam posição de relativo conforto para Marco Maciel e Humberto Costa, embora não se possa ainda considerar essas posições como consolidadas. Armando Monteiro e Raul Jungmann têm possibilidades de crescimento, com maiores perspectivas para Armando.

Nenhum Comentário
Deixe seu comentário
Sobre o autor

Maurício Costa Romão é Master e Ph.D. em economia pela Universidade de Illinois, nos Estados Unidos, sendo autor de livros e de publicações em periódicos nacionais e internacionais...

continue lendo >> Maurício Romão

Copyright © 2012 Maurício Romão. Todos os direitos reservados.

Desenvolvimento: 4 Comunicação