DATAFOLHA: DILMA ABRE 20 PONTOS SOBRE SERRA

26/08/2010

Fonte: elaboração de MCR, com base em pesquisas do Datafolha

Por Maurício Costa Romão

Mantendo a tendência de alta que vem registrando em várias pesquisas realizadas neste mês de agosto, a candidata do PT a presidente, Dilma Rousseff, registrou 49% de intenções de voto neste último levantamento realizado pelo Datafolha, entre os dias 23 e 24/08, e publicado hoje pelo jornal Folha de S.Paulo.  O principal adversário de Dilma, José Serra, do PSDB, obteve apenas 29% e Marina Silva, do PV, ficou com 9%.

O gráfico que acompanha o texto mostra a evolução das intenções de voto dos três candidatos nas pesquisas realizadas pelo Datafolha, com destaque para as mais recentes, do mês de agosto, quando Dilma passou à frente de Serra.

O Datafolha, mais uma vez, trabalhou com uma amostra expandida, em que fez 10.948 entrevistas em todo o país, A margem de erro máxima da pesquisa é de dois pontos percentuais, para mais ou para menos.

Na última sondagem do dia 20, feita pelo mesmo Instituto, Dilma tinha 47%, Serra estava com 30% e Marina com 9%.

Assim, comparando-se os dois levantamentos, observa-se que todas as oscilações das intenções de voto dos candidatos se deram dentro da margem de erro, o que significa que pode não ter ocorrido nenhuma variação efetiva nas preferências dos eleitores, do dia 20 até o dia 24. Quer dizer, o aumento da distância de Dilma para Serra de 17 para 20 pontos de uma pesquisa para outra pode não ter ocorrido.

Há 4% dos entrevistados que declaram votar em branco, nulo ou em nenhum candidato. E 8% estão indecisos. Estes dois percentuais somam 12%, que é o que foi detectado também na pesquisa do dia 20 próximo passado. Mais uma vez os demais candidatos não pontuaram.

Se a eleição fosse hoje, Dilma teria 55% dos votos válidos (são os votos dados apenas aos candidatos, descartando-se o total de votos consignados como brancos, nulos e indecisos) e venceria no primeiro turno. Para ganhar a eleição no primeiro turno o candidato tem que ter 50% mais um dos votos válidos.

Com relação a um eventual segundo turno, Dilma obteve 55% das intenções de voto e Serra 36%, uma diferença de 19 pontos.

Quando instados a declarar o nome dos seus candidatos sem olhar a lista deles no disco de cartolina, 35% dos eleitores entrevistados mencionaram espontaneamente o nome de Dilma e 18% o de Serra. A diferença de votos espontâneos de Dilma Para Serra é de quase o dobro.

FERNANDO RODRIGUES, Folha de S.Paulo, 26/08/2010

A candidata do PT a presidente, Dilma Rousseff, manteve sua tendência de alta e foi a 49% das intenções de voto. Abriu 20 pontos de vantagem sobre seu principal adversário, José Serra, do PSDB, que está com 29%, segundo pesquisa Datafolha. Os contratantes do levantamento são a Folha e a Rede Globo.

Realizada nos dias 23 e 24 com 10.948 entrevistas em todo o país, o levantamento também indica que Dilma lidera agora em segmentos antes redutos de Serra. A petista passou o tucano em São Paulo, no Rio Grande do Sul e no Paraná e entre os eleitores com maior faixa de renda.

Em São Paulo, Estado governado por Serra até abril e por tucanos há 16 anos, Dilma saiu de 34% na semana passada e está com 41% agora. O ex-governador caiu de 41% para 36%. Na capital paulista, governada por Gilberto Kassab (DEM), aliado de Serra, ela tem 41% e ele, 35%.

No Rio Grande do Sul, a petista saiu de 35% e foi a 43%. Já Serra caiu de 43% para 39% entre os gaúchos.

A margem de erro máxima da pesquisa é de dois pontos percentuais, para mais ou para menos. Todas as oscilações nacionais se deram dentro do limite.

Dilma tinha 47% na sondagem do dia 20 e foi a 49%. Serra estava com 30% e agora tem 29% Marina Silva (PV) manteve-se em 9%. Há 4% que dizem votar em branco, nulo ou em nenhum. E 8% estão indecisos. Os demais candidatos não pontuaram.

Se a eleição fosse hoje, Dilma teria 55% dos votos válidos (os que são dados apenas aos candidatos) e venceria no primeiro turno.

Serra se mantém ainda à frente em alguns poucos estratos do eleitorado. Por exemplo, entre os eleitores de Curitiba, capital do Paraná, onde registra 40% contra 31% de sua adversária direta.

‘BOLSÕES’

Mas o avanço da petista ocorre também nesses bolsões serristas. No levantamento de 9 a 12 deste mês, Serra liderava entre os curitibanos com 43% contra 24% de Dilma, uma vantagem de 19 pontos. Agora, a diferença caiu para nove pontos.

Quando se observam regiões do país, a candidata do PT lidera em todas, inclusive no Sul. Na semana passada, ela estava tecnicamente empatada com Serra, mas numericamente atrás: tinha 38% contra 40% do tucano.

Agora, a situação se inverteu, com Dilma indo a 43% e o tucano deslizando para 36% entre eleitores sulistas.

SEGUNDO TURNO

Como reflexo de seu desempenho geral, Dilma também ampliou a vantagem num eventual segundo turno. Saiu de 53% na semana passada e está com 55%. Serra oscilou de 39% para 36%. Ampliou-se a distância, que era de 14, para 19 pontos.

Outro dado relevante e que indica um mau sinal para o tucano é a taxa de rejeição. Dilma é rejeitada por 19% dos eleitores, taxa que se mantém estável desde maio.

Já Serra está agora com 29% (eram 27% semana passada) e chega a seu maior percentual neste ano.

Na pesquisa espontânea, quando os eleitores não escolhem os nomes de uma lista de candidatos, Dilma foi a 35% contra 18% de Serra. No levantamento anterior, os percentuais eram 31% e 17%, respectivamente.

A pesquisa está registrada no TSE sob o número 25.473/2010.

Nenhum Comentário
Deixe seu comentário
Sobre o autor

Maurício Costa Romão é Master e Ph.D. em economia pela Universidade de Illinois, nos Estados Unidos, sendo autor de livros e de publicações em periódicos nacionais e internacionais...

continue lendo >> Maurício Romão

Copyright © 2012 Maurício Romão. Todos os direitos reservados.

Desenvolvimento: 4 Comunicação