Conceitos

INFLUÊNCIA DA TV NOS RESULTADOS DAS ELEIÇÕES

09/08/2012

 Eleitor

 A TV ainda é o meio mais importante na campanha eleitoral para conquistar o eleitor?

Maurício Costa Romão

Sim! A experiência de várias eleições tem mostrado que a TV e o rádio são os meios mais importantes e, sobretudo, eficazes, de as campanhas eleitorais chegarem diretamente aos eleitores. O horário eleitoral, principalmente o transmitido pela TV, muda a história das eleições.  Trata-se, também, de uma questão de escala: enquanto a abordagem de eleitores na rua, em pontos de fluxo, ou em suas residências tem alcance fisicamente limitado, a comunicação por rádio e TV leva instantaneamente as mensagens dos candidatos a milhares e milhares de eleitores, incluindo os que se encontram nos mais distantes e inacessíveis rincões.

Leia mais…

ELEIÇÃO SEM PESQUISA ELEITORAL?

07/08/2012

Eleitora

É possível uma volta ao passado, quer dizer, ter eleições hoje em dia sem a presença polêmica das pesquisas eleitorais?  

Maurício Costa Romão

Antes de qualquer coisa é oportuno contextualizar o papel das pesquisas eleitorais. Elas são, acima de tudo, um importante instrumento de comunicação social. As pesquisas expressam para a sociedade o que é que o eleitor está pensando sobre o processo eleitoral, quais são suas simpatias ideológicas e partidárias, quais são suas preferências pelos prováveis candidatos, quais são seus sentimentos e expectativas sobre o presente e o futuro, quais são seus principais problemas e apreensões, etc. Então, a pesquisa eleitoral é a caixa de ressonância do pensamento do eleitor, vale dizer, da sociedade.

Leia mais…

DICAS PARA LER UMA PESQUISA

05/07/2012

Texto extraído de: http://www.educared.org/educa/img_conteudo/especiais_eleicoes_dicas.htm

  • Se for uma pesquisa quantitativa, é sempre bom olhar o tamanho da amostra. Em geral, quanto maior a amostra, menor o erro estatístico. E não é só isso. É preciso verificar, também, a dispersão amostral (se for um levantamento em São Paulo, a quantidade de bairros, por exemplo, ou se for no Brasil, o número de cidades). Quanto maior a dispersão, melhor.

Leia mais…

A CATEGORIA DE “VOTOS EM BRANCO, NULOS E INDECISOS” NAS PESQUISAS ELEITORAIS

29/06/2012

Fonte: elaboração própria, com base em pesquisas do IPMN

Maurício Costa Romão

Chama à atenção nas pesquisas do Instituto de Pesquisa Maurício de Nassau (IPMN) para prefeito do Recife, realizadas em parceria com o portal LeiaJá e o Jornal do Commercio,  o ainda grande contingente de eleitores que não se decidiu por nenhuma das pré-candidaturas aventadas ou manifestou intenção de votar em branco ou anular o voto. Esse contingente está englobado na categoria de voto em branco, nulo, não sabe, não respondeu. Na média dos cenários de junho, esse conjunto representa 34% dos eleitores, o que é um número bastante elevado.

Leia mais…

BRIGA COM PESQUISA

19/06/2012

Eleitora

À parte da controvérsia envolvendo as pesquisas, incluindo as tentativas legais de controle de seus resultados, vale à pena um determinado candidato, partido ou comando de campanha brigar com os institutos por causa dos resultados desfavoráveis?

Maurício Costa Romão

Não, não vale! Para melhor explicação, é necessário um rápido introito. Todo planejamento de campanhas políticas hoje em dia inclui, necessariamente, a pesquisa eleitoral como ferramenta básica do seu núcleo central de estratégia e decisão. Esse reconhecimento da importância das pesquisas eleitorais por parte dos partidos, dos comandos de campanha, dos estrategistas de marketing político, dos candidatos, é também compartilhado pelo lado do público em geral, do consumidor das pesquisas, do eleitor, naturalmente, nestes últimos casos, sob uma perspectiva mais noticiosa, mais informativa.

Leia mais…

Sobre o autor

Maurício Costa Romão é Master e Ph.D. em economia pela Universidade de Illinois, nos Estados Unidos, sendo autor de livros e de publicações em periódicos nacionais e internacionais...

continue lendo >> Maurício Romão

Copyright © 2012 Maurício Romão. Todos os direitos reservados.

Desenvolvimento: 4 Comunicação