A CONSTRUÇÃO DE CENÁRIOS E AS ESTRATÉGIAS

16/02/2012

Adriano Oliveira

As pesquisas eleitorais importam para a construção de cenários eleitorais. Através destes, é possível criar estratégias políticas e eleitorais. As estratégias políticas representam a ação do ator no âmbito político – alianças, busca de apoios. E as estratégias eleitorais têm o objetivo de conquistar o eleitor. Variados atores políticos e, em particular, candidatos, não utilizam das pesquisas eleitorais para construir cenários. A não utilização das pesquisas ocorre em razão do desinteresse por parte dos candidatos ou das incipientes informações trazidas por dadas pesquisas eleitorais.

A construção de cenários não representa o ato de adivinhar o futuro. Mas de construir hipóteses plausíveis quanto ao que pode ocorrer no futuro. Cenários eleitorais são construídos a partir de informações, as quais são advindas de pesquisas eleitorais, de informações presentes na imprensa e de fatos informais publicizados por atores políticos.

O estrategista e o candidato têm a missão de reunir as informações disponíveis e por meio da Teoria dos Jogos e do exercício lógico construir cenários eleitorais. A construção dos cenários deve partir do cenário mais plausível ao implausível.

Construindo um exercício simples de construção de cenários, constato, por exemplo, que é plausível o governador Eduardo Campos apoiar João da Costa na disputa eleitoral de 2012. É plausível também, o governador lançar outro candidato. Não vejo como cenário plausível, o governador Eduardo Campos apoiar de modo informal um candidato da oposição – DEM, PPS e PMDB.

Considerando 2014, é possível vislumbrar a candidatura a reeleição de Dilma Roussef contra duas forças políticas, quais sejam: Aécio Neves e Eduardo Campos. E é possível prognosticar também a possibilidade de Eduardo ser vice de Aécio. Embora, o governador de Pernambuco possa a ser vice de Dilma. Mas neste momento, considero improvável este cenário.

Saliento que os cenários mostrados foram construídos com base em pesquisas eleitorais, informações da imprensa e de atores políticos. Com base nos cenários propostos, é possível orientar as escolhas dos atores, pois, as ações dos oponentes ou aliados já foram previamente identificadas. Friso que o ato de construir cenários é uma atividade cotidiana, pois os atores fazem escolhas diárias.

Portanto, a construção de cenários possibilita que candidatos montem estratégias eficientes e conquistem sucesso eleitoral.

Adriano Oliveira – Doutor em Ciência Política

Professor da UFPE

twitter.com/adriano_oliveir

facebook.com/adrianopolitica

http://www.leiaja.com/

Nenhum Comentário
Deixe seu comentário
Sobre o autor

Maurício Costa Romão é Master e Ph.D. em economia pela Universidade de Illinois, nos Estados Unidos, sendo autor de livros e de publicações em periódicos nacionais e internacionais...

continue lendo >> Maurício Romão

Copyright © 2012 Maurício Romão. Todos os direitos reservados.

Desenvolvimento: 4 Comunicação